A GESTÃO DO CAMPUS ARAGUATINS DO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS: UMA ANÁLISE A PARTIR DA LEI 11.892/2008

Paulo Hernandez Gonçalves Silva, Quésia Postigo Kamimura, Adriana Leônidas de Oliveira

Resumo


Este artigo tem como objetivo fazer uma reflexão sobre as alterações ocorridas no âmbito da gestão da educação profissional, com a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, com base na regulamentação da Lei n. 11.892/2008. Relata o histórico da educação profissional e a transformação da Escola Agrotécnica Federal de Araguatins (EAFA) no Campus de Araguatins, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), explicitando os elementos que constituíram a mudança, como legislação, características, finalidades, objetivos e, principalmente, investiga como ocorre a gestão dessa Instituição. Baseado em pesquisa bibliográfica e documental, demonstrou-se a importância da integração do Campus Araguatins ao mercado regional, ressaltando os benefícios advindos com a nova estrutura da organização. A criação dos institutos federais trouxe a padronização de um modelo de instituição com mais autonomia que as escolas técnicas federais, tanto no âmbito administrativo, quanto no pedagógico. Essa mudança organizacional foi refletida também no ambiente de trabalho, possibilitou e trouxe novas perspectivas, inclusive na mudança comportamental dos servidores públicos federais e terceirizados envolvidos no processo. Não houve grandes mudanças no sentido da oferta da educação profissional. Conclui-se que o que foi concretizado é a implementação de cursos superiores, tão necessários para o desenvolvimento regional, e que há necessidade de aprimoramento na área de gestão eficiente como prática social.

Palavras-chave


Políticas Públicas; Administração Pública; Educação Profissional; Desenvolvimento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


LAJBM está indexada em:

   

 

ISSN: 2178-4833